Notícias Locais

Policiais Militares mobilizam comunidade para construção da casa a uma senhora de 82 anos

No último dia 15 de junho, por volta da 11h20min, o tenente Agnaldo Chaves dos Santos e os soldados Marlon Roberto Nedel e Nelson Flores Ignácio Ribeiro, se deslocaram com duas guarnições viaturas do 39º Batalhão de Polícia Militar (BPM), sendo uma pertencente ao 1º Pelotão da 1ª Companhia e a outra da Força Tática, para uma estrada vicinal as margens da BR-158, com o intuito de desvendar o sequestro do proprietário de uma das lotéricas de Palmeira das Missões. Ao chegarem ao local, os policiais encontraram a vítima amarrada no banco traseiro do seu próprio veículo, o qual foi conduzido ao Hospital de Caridade.

Durante o retorno para a cidade, os policiais avistaram uma senhora de estatura baixa, que se apoiava em uma madeira a qual fazia de bengala. Os policiais pararam o veículo e questionaram a senhora para onde estava indo. A partir de então, a senhora passou a relatar sua idade, 82 anos, e que naquele dia não havia tomado o café da manhã e nem almoçado, pois não possuía nenhum tipo de alimento em casa, pois nos últimos dias, em função das chuvas não foi possível se deslocar até a rodovia, onde normalmente consegue carona para a cidade, onde efetua a aquisição de alimentos. Comovidos com sua história, os policiais prestaram apoio a ela, levando ela até um mercado, onde realizou suas compras e o levando de volta até a sua casa. Ao chegarem à sua residência, os policiais se depararam com uma situação inimaginável e de muita precariedade para um ser humano. A casa estava quase caindo, com o telhado todo danificado, que segundo Dona Joana, havia sido destruído por uma chuva de granizo há bastante tempo, o que fazia com que nos dias de chuva dormisse molhada. A sua casa também não possui energia elétrica e água encanada, não possui banheiro. Além disso, não possui móveis, na cozinha apenas um fogão improvisado, o qual dona Joana chama de “borraio”, do qual não abre mão. Ela relatou aos policiais que não possui filhos e que desde a morte de seu companheiro vive sozinha naquele local, e que não tem contato com parentes. Comovidos com a precária situação vivida pela dona Joana, os policiais participantes da operação, com o apoio da tenente Luciani e do soldado Rocha, criaram um grupo composto pelo cinco militares, criaram um grupo de whatsapp composto por seus familiares, aos quais passaram a solicitar auxílio para dar uma vida digna a dona Joana. A partir daquele momento, os vídeos passaram a ser propagados nas redes sociais, e com isso, os policiais passaram a receber ligações através do telefone 190, de pessoas dispostas a colaborar, o que levou os mesmos, a organizaram uma relação dos possíveis doadores de materiais de construção, bem como de recursos para a religação da energia elétrica.

Segundo os policiais envolvidos na arrecadação dos donativos, até o momento do encerramento da edição, já tinham conseguido quase 100% dos recursos necessários, além da mão de obra para a construção de uma nova casa da dona Joana, e com isso, ela possa viver com dignidade. Também informaram que a grande maioria dos doadores, pediu para que seus nomes não fossem divulgados, por saberem da seriedade da instituição e de que o único objetivo dos policiais é fazer o bem.

Fonte: Jornal Expressão Regional