Esportes

Análise: Inter vive maior vitória da “era Odair” e finca o nome pelo título da Copa do Brasil

Por Eduardo Deconto — Porto Alegre

Melhores momentos: Internacional 1 (5) x (4) 0 Palmeiras pela Copa do Brasil

Melhores momentos: Internacional 1 (5) x (4) 0 Palmeiras pela Copa do Brasil

Motivos não faltaram para o comandante passar o resto da noite em festa, entre um cálice e outro. Nesta quarta-feira, a equipe conseguiu a vitória mais expressiva nos 19 meses sob seu comando ao devolver a derrota por 1 a 0 no jogo de ida e vencer o Palmeiras pelo mesmo placar no Beira-Rio. A classificação veio nos pênaltis, com triunfo por 5 a 4.

O roteiro percorrido pelo Inter até a vaga é tão emblemático quanto a vitória em si. Forjou a classificação com autoridade e superioridade em inúmeros aspectos: “na bola”, na intensidade, na estratégia e na emoção. Tudo isso para postular de vez a candidatura ao título da Copa do Brasil. O rival na semifinal será o Cruzeiro.

 

Inter postula candidatura ao título da Copa do Brasil após eliminar o Palmeiras — Foto: Ricardo Duarte/Divulgação, InterInter postula candidatura ao título da Copa do Brasil após eliminar o Palmeiras — Foto: Ricardo Duarte/Divulgação, Inter

Inter postula candidatura ao título da Copa do Brasil após eliminar o Palmeiras — Foto: Ricardo Duarte/Divulgação, Inter

Com a necessidade de reverter a derrota por 1 a 0 na ida, o treinador escalou D’Alessandro na vaga de Nonato. Mas a manutenção de Patrick diz tanto sobre a estratégia para a partida quanto a entrada de D’Ale.

O argentino deu mais criatividade à equipe, com liberdade para encostar em Paolo Guerrero e Nico López e servi-los com assistências. Patrick, por sua vez, garantiu a intensidade e a combatividade necessárias para enfrentar o jogo de vigor físico típico do Palmeiras.

 
Os pênaltis de Internacional 1 (5) x (4) 0 Palmeiras pela Copa do Brasil

Os pênaltis de Internacional 1 (5) x (4) 0 Palmeiras pela Copa do Brasil

Deu resultado, especialmente no primeiro tempo. O Inter encurralou seu adversário no campo de defesa e buscou o gol desde o início, com bom aproveitamento nas jogadas de bola aérea, apoio constante dos laterais que, por vezes, entravam na área, e sempre foram bem cobertos pela dupla Patrick e Edenílson. Os contra-ataques acabaram neutralizados pela defesa.

> A superioridade do Inter no jogo:

  • Finalizações: Inter 20 x 15 Palmeiras
  • Chances reais: Inter 6 x 3 Palmeiras
  • Bolas levantadas: Inter 19 x 9 Palmeiras
  • Escanteios: Inter 9 x 1 Palmeiras
  • Roubadas de bola: Inter 18 x 12 Palmeiras

No segundo tempo, Nico López ameaçou duas vezes logo cedo e acertou a trave, mas o Inter logo reduziu o ritmo. A equipe não só parou de pressionar o Palmeiras como viu o rival ficar mais com a bola e rondar a área em busca do gol.

Em vão. A defesa colorada sempre esteve bem postada e pouco permitiu infiltrações, salvo o pênalti sofrido por Felipe Melo e anulado com recurso do VAR.

 
Gol do Internacional! Patrick bate da entrada da área e marca para o Colorado aos 40 do 1º tempo

Gol do Internacional! Patrick bate da entrada da área e marca para o Colorado aos 40 do 1º tempo

Em meados do segundo tempo, Odair se viu dividido entre tentar garantir o “certo” com o 1 a 0 ou arriscar pelo “duvidoso” na busca pelo 2 a 0. E optou pela ousadia: sacou Bruno e Uendel, deslocou dois volantes para as laterais e mandou a campo Nonato e Wellington Silva – um meia e um atacante.

– É um jogo de xadrez. E se faço uma substituição mais ofensiva e tiro um cara que bate pênalti? Tudo isso passa em frações de segundo e precisa tomar uma decisão – diz Odair.

 

O pensamento “grande” deu resultado. O Inter chegou ao 2 a 0 com Víctor Cuesta, após cobrança de escanteio de D’Alessandro. Os colorados vibraram, o Beira-Rio explodiu em festa…. Mas o árbitro reviu o lance no VAR, identificou falta do zagueiro argentino em Felipe Melo e causou revolta geral.

Eduardo Deconto

@_eduardodeconto

 

Grito de “vergonha” ecoa no Beira-Rio após o gol anulado

Embedded video

75 people are talking about this
 
 

“(Foi a vitória) Mais significativa por ser eliminatória. Acredito que tenha sido a com gosto melhor. Mas a gente sabe que não vale nada se não formos adiante. Tem que por na cabeça que o esforço tem que valer a pena” (Edenílson).

O gol e a anulação ocorreram já à beira dos 50 minutos do segundo tempo. O baque e o abalo emocional com a inversão de expectativas seriam naturais. Não ocorreram: mesmo em meio aos protestos, o Inter teve frieza de sobra para vencer as penalidades por 5 a 4. E para fincar de vez sua candidatura ao título da Copa do Brasil.

Classificado, o Inter enfrentará o Cruzeiro na semifinal. Antes, a equipe tem pela frente o Gre-Nal do próximo sábado, às 19h, no Beira-Rio, pela 11ª rodada do Brasileirão.

Fonte: Globo Esporte