Notícias Estaduais

Internacional e Grêmio deixam rivalidade de lado para ajudar pessoas em situação de rua em Porto Alegre

Por RBS TV e G1 RS

Inter e Grêmio se unem para ajudar moradores de rua na noite desta sexta (5)

RBS Notícias
 
Inter e Grêmio se unem para ajudar moradores de rua na noite desta sexta (5)

Inter e Grêmio se unem para ajudar moradores de rua na noite desta sexta (5)

Colorados e gremistas, lado a lado, sem rivalidade. Torcedores e dirigentes dos dois clubes de Porto Alegre trabalharam juntos nesta sexta-feira (5) por uma causa maior. O Ginásio Gigantinho foi aberto pelo Inter para acolher pessoas em situação de rua no dia mais frio do ano no Rio Grande do Sul, e o Grêmio encaminhou doações à sede do rival.

Na Capital, a temperatura mínima ficou em 5ºC, com sensação de -0,9ºC. O sábado e o domingo também serão de muito frio, conforme a previsão.

Trezentos colchonetes, com dois cobertores cada, foram espalhados pelo ginásio. O clube também se comprometeu a distribuir sopão e café da manhã para os acolhidos, em uma iniciativa em parceria com a prefeitura.

Para garantir alimentos a todos e, quem sabe, abrigar um número ainda maior de pessoas, o Inter pediu doações de alimentos e cobertores. E a torcida tricolor marcou presença.

Durante a tarde, dois ônibus do Grêmio deixaram a Arena carregados com 600 cobertores e mantimentos. Eles foram recebidos com aplausos no estádio do rival. Torcidas organizadas de Grêmio e Inter se uniram para organizar as doações.

A comunidade também se mobilizou. No total, a ação no Gigantinho arrecadou até a noite de sexta em torno de 1 mil kg de alimentos e 20 mil peças de roupas. Segundo a assessoria do Internacional, 280 pessoas foram acolhidas.ONG Cozinheiros do Bem preparou janta e café da manhã para os abrigados do Gigantinho — Foto: Léo Saballa Jr/RBS TVONG Cozinheiros do Bem preparou janta e café da manhã para os abrigados do Gigantinho — Foto: Léo Saballa Jr/RBS TV

ONG Cozinheiros do Bem preparou janta e café da manhã para os abrigados do Gigantinho — Foto: Léo Saballa Jr/RBS TV

A ONG Cozinheiros do Bem se encarregou de preparar uma sopa e o café da manhã. “É a primeira vez que vi uma enxurrada tão grande de doações como hoje”, diz o idealizador do projeto, Júlio Ritta.

“O mais bacana é a solidariedade vinda de todos os lados. Sem precisar de uma grande catástrofe. É só o frio, e que vai se repetir nos próximos dias”, comenta. Para Ritta, a ação serve para mostrar que, se todos colaborarem, é possível ajudar a muitos. “Não pesa no bolso de ninguém. Isso é pra criar uma conscientização, pra mostrar pras pessoas que é possível. Se todos fizerem um pouco, hoje, quem tá aqui, não vai precisar meter a mão no lixo para comer”, declara.

“Vou dormir mais tranquilo”

Henrique Luciano Correia da Silva passará a noite de sexta-feira (5) abrigado no Gigantinho. Ele mora na rua há 20 anos. “Tô cansado. Quero arrumar uma casa pra mim. Tenho uma filha, a Ana Clara, ela é pequenininha, tem três aninhos”, conta.

Na noite de quinta-feira (4), ele precisou se enrolar em papelão para conseguir dormir. “Acordei 5 e pouco da manhã, não dormi mais, não consegui. Era muito frio”, conta. “Vou dormir mais tranquilo”.