Esportes

Grêmio fica satisfeito com empate em “jogo mais duro do ano”, mas sai da Argentina com ressalvas

Por Eduardo Moura — Direto de Rosário, Argentina

 

Melhores momentos: Rosario Central 1 x 1 Grêmio pela Taça Libertadores 2019
Futebol Internacional
 
Melhores momentos: Rosario Central 1 x 1 Grêmio pela Taça Libertadores 2019

Melhores momentos: Rosario Central 1 x 1 Grêmio pela Taça Libertadores 2019

Ao deixar o gramado extasiado, com a camisa branca suada, o desgaste ficava evidente no semblante preocupado de Renato Gaúcho. Pontaria, desatenção, início de temporada, Luan… Vários foram os pontos negativos seriam citados nas coletivas.

De positivo, ficam as atuações de Marinho e Everton, o volume de chances criadas e a melhora após a entrada de Matheus Henrique. Renato fez questão de deixar claro que o mais importante era não perder. Mesmo com uma atuação sem empolgar contra o principal adversário enfrentado até então.

– Estamos no início de temporada. É a quarta ou quinta partida desta equipe no ano. Sempre vão ter as dificuldades. Sofremos o gol, reagimos rápido. Estamos trabalhando. Não acabou nem o primeiro turno do estadual. A equipe ainda está longe do ideal na parte técnica e física. Gostei porque é Libertadores. Não teve uma grande atuação, mas jogou uma equipe de Libertadores – opinou Renato.

 

Renato Gaúcho saiu satisfeito com empate  — Foto: Eduardo MouraRenato Gaúcho saiu satisfeito com empate  — Foto: Eduardo Moura

Renato Gaúcho saiu satisfeito com empate — Foto: Eduardo Moura

Início desconcentrado

O apito inicial mostrou um adversário disposto a complicar as coisas. E um Grêmio que demorou para sentir e entender o jogo. Além do gol marcado por Zampedri, as costas de Leonardo serviram para o Central levar perigo em outro cruzamentos na área. A reação logo na sequência ao gol sofrido foi um ponto positivo.

– Foi um pouco abaixo, mas acho que por isso, por ser um jogo diferente, de Libertadores, mais aguerrido, mais pressão. Talvez daqui para frente, a gente mais habituado com a Libertadores, melhorem as coisas – opinou o vice de futebol Duda Kroeff.

 

Final da partida entre Grêmio e Rosário  — Foto: Eduardo MouraFinal da partida entre Grêmio e Rosário  — Foto: Eduardo Moura

Final da partida entre Grêmio e Rosário — Foto: Eduardo Moura

Durante o primeiro tempo, especialmente nos quinze primeiros minutos, os jogadores de defesa conversaram muito entre eles. Maicon e Leonardo, Rômulo e Geromel, todos tentavam ajustar o o posicionamento. De forma progressiva, o início desatento passava e o trabalho na bola aérea defensiva também evoluía.

Defesa exposta

Talvez ainda pelo início de temporada, o Grêmio apresentou alguns erros raros de se ver. Passes entregues aos pés dos argentinos por Luan, especialmente, levavam perigo e deixavam os zagueiros Geromel e Kannemann expostos ao contra-ataque. Os laterais Leonardo e Cortez, outra vez em período que remete ao início da partida, também passaram trabalho com a movimentação adversária.

– Estava um campo rápido, difícil de controlar a bola. Muitos lances os jogadores se atrapalharam com a bola. Foi um jogo disputado, de Libertadores. Agora vamos tentar somar os três pontos em casa – destacou Kannemann.
 

Romulo formou dupla com Maicon — Foto: Lucas Uebel/DVG/GrêmioRomulo formou dupla com Maicon — Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

Romulo formou dupla com Maicon — Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

A dupla Rômulo e Maicon demorou a ajustar o posicionamento na marcação. A frente da área do Tricolor acabou desguarnecida naqueles primeiros momentos em função das movimentações do Central e da incumbência de cada no acompanhamento. Quando o ritmo caiu no segundo tempo, Matheus Henrique entrou para ajudar os dois volantes. E deu vida nova ao setor.

Chances e desperdício

ponto alto talvez fique para o volume de jogo criado pelo Grêmio, especialmente no primeiro tempo. Além do gol, Everton teve pelo menos mais uma chance clara. Felipe Vizeu teve outras três oportunidades e não conseguiu concluir no gol, uma delas já sem o goleiro Ledesma pela frente. A bola chegou, mas a pontaria não estava afiada.

 

Vizeu perde chance contra o Rosário — Foto: Eduardo Moura/GloboEsporte.comVizeu perde chance contra o Rosário — Foto: Eduardo Moura/GloboEsporte.com

Vizeu perde chance contra o Rosário — Foto: Eduardo Moura/GloboEsporte.com

– A gente sabe que podia sair com a vitória, tivemos grandes oportunidades, algumas comigo. Mas não foi um resultado ruim. Foi um jogo difícil, de estreia na Libertadores. É uma grande equipe também, jogando em casa, com apoio da torcida – reconheceu Vizeu.

O retorno a Porto Alegre ocorre na tarde desta quinta-feira. Na sexta, o elenco treino pela manhã e já concentra para o jogo de sábado, contra o São José, pelo Gauchão. Na bagagem da argentina, o grupo sabe que precisa evoluir para terça-feira, quando o Tricolor volta a jogar pela Libertadores, contra o Libertad, na Arena.

Fonte: Globo Esporte