Notícias Estaduais

Ministro da Cidadania participa de lançamento de campanha para valorizar patrimônio cultural da Região Sul

Por G1 RS

 

 

Ministro Osmar Terra participa de lançamento de campanha do Iphan em Porto Alegre — Foto: Mauro VieiraMinistro Osmar Terra participa de lançamento de campanha do Iphan em Porto Alegre — Foto: Mauro Vieira

Ministro Osmar Terra participa de lançamento de campanha do Iphan em Porto Alegre — Foto: Mauro Vieira

O ministro da Cidadania, Osmar Terra, participou na manhã desta quinta-feira (7), em Porto Alegre, do lançamento da campanha do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), que tem como objetivo valorizar a cultura da Região Sul.

O evento foi realizado no Palácio Piratini. Entre os presentes estiveram o governador do estado, Eduardo Leite (PSDB), a presidente do Iphan, Kátia Bogéa, diretores nacionais, superintendentes do Iphan dos estados do Sul e parlamentares da região.

“Tudo que estamos fazendo agora na área cultural, nós estamos casando com a geração de emprego e renda, com a redução da pobreza. O turismo e a área cultural têm um papel muito importante nisso”, diz o ministro, que é gaúcho.

A campanha recebeu o nome de “Patrimônio Cultural do Sul: Turismo Cultural como ativo para o desenvolvimento das cidades históricas”. Durante 2019, estão programadas diversas ações na região. Todos os anos, o Iphan escolhe uma região do país para sediar os eventos e debates relacionados ao patrimônio.

São Miguel das Missões

A primeira ação ocorre na sexta-feira (8) em São Miguel das Missões, na Região das Missões do Rio Grande do Sul. O município celebrará o início da primeira etapa da obra de requalificação urbanística do entorno do Sítio de São Miguel Arcanjo, com investimento aproximado de R$ 3 milhões, por meio do PAC Cidades Históricas, além da entrega do certificado da Tava como Patrimônio Cultural do Mercosul.

“O patrimônio histórico é importante, primeiro por ter a memória, e segundo para realçar nossas origens, fortalecer a autoestima da população. Conhecer os Sete Povos das Missões, além de ser uma delícia, uma beleza muito grande, é o lugar onde o Rio Grande começou”, afirma o ministro.

Para todo o estado, o PAC prevê o investimento total de R$ 154,43 milhões. São 29 obras previstas em quatro cidades do Rio Grande do Sul: Porto Alegre, São Miguel das Missões, Jaguarão e Pelotas. Do total, R$ 36 milhões já foram investidos em obras como a Restauração do Mercado Público, em Porto Alegre.

Ao todo, a Região Sul possui mais de 150 bens tombados individualmente e 13 conjuntos urbanos tombados pelo Iphan, além de quatro patrimônios imateriais registrados: a Tava, lugar de referência para a memória e a identidade do povo Guarani (RS), o Fandango Caiçara (PR), a Procissão do Senhor dos Passos (SC) e as Tradições Doceiras da Região de Pelotas e Antiga Pelotas (RS).

Programação em outubro, em Porto Alegre

A Semana do Patrimônio Cultural ocorre em Porto Alegre entre os dias 21 a 25 de outubro. Algumas atividades que vão ocorrer: o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, o Seminário Internacional sobre potencial turístico do Patrimônio Cultural, o lançamento da Revista do Patrimônio, o 6º Encontro das Cidades Históricas Turísticas e Patrimônio Mundial e a reunião do Conselho Consultivo para deliberar sobre o reconhecimento de outros bens culturais da região como Patrimônios Culturais Brasileiros.

Theatro São Pedro e Multipalco Eva Sopher

Durante a visita, o ministro aproveitou para falar sobre o Theatro São Pedro e a construção do Multipalco.

“O Theatro São Pedro já é por si só um grande patrimônio cultural que nós temos e um símbolo para o Rio Grande. Mas tem toda essa área nova do Multipalco, que começou uma obra importante e que está com dificuldade de terminar. Estive visitando já, na outra oportunidade que estive aqui, e fiquei muito empolgado com o que eu vi, os espaços que têm ali dentro são extraordinários”, afirma.

Osmar Terra acrescentou que está estudando uma forma de ajudar a construção do Multipalco.

“Estou esperando o projeto que eles ficaram de me mandar, do que falta, os custos, os investimentos que precisam ser feitos, e nós vamos ver, através de leis de incentivo cultural, enfim, vamos arrumar um caminho para resolver, para definitivamente ter o Theatro São Pedro completo, o Multipalco completo. Nós temos que casar com a questão social também, um lugar da economia criativa. Acho que podemos ter um grande centro de capacitação de recursos humanos para a área cultural”, acrescenta.

Fonte: G1